Sem categoria

Fotos do Cio da Terra

Deu pra ti anos 70  escrito em sexta 02 julho 2010 09:39

Histórico show de Nei Lisboa, Augusto Licks (Engenheiros do Hawaii), Luisinho Santos, Luiz Ewerling, dentre outros. Depois saiu o filme.

Cartaz do Cio da Terra (1982)  escrito em sexta 02 julho 2010 09:46

Tem um blog no blogspot dedicado ao evento, do qual copiamos as imagens.
Painel da exposição “Cio da Terra 25 Anos”.

ednardo

ednardo
O grande show! O grito “Acorda Povo!” , para chamar o público, lá pelas 5h, foi inesquecível. Foto de Vera Damian – Acervo pessoal.


Foto: Vera Damian – Acervo Pessoal.

debates

SÁBADO – DIA 30
-TV: Edélcio Martins, Quizumba e Pra Começo de Conversa.
-Literatura: Caio Fernando Abreu, Luiz de Miranda e Appel.
-Mulher: Liberta, Ana Terra e Germinal.
-Teatro: Itala Nandi.
-Negro: Clóvis Moura
-Ecologia: Grupo Ecológico Em Nome do Amor a Natureza.DOMINGO – DIA 31
-Música: Fernando Brandt, Juarez Fonseca e Vitor Ramil.
-Sexualidade: Adauri Bastos, Herbert daniel e Amanda.
-Momento Político Atual: Candidatos ao Senado.
-Índio: Edilson Martins
-Cinema: Itala Nandi, Giba Assis Brasil e Renato Tapajós.
-Drogas: Zezinho Oliveira e Eduardo Bueno.
-Sindicalismo: Paim e Rosseto.

público nos debates

público nos debates
A grande presença de público nos debates mostra uma juventude altamente politizada e intelectualizada. Ao contrário do que muitos pensavam. Imagem retirada da exposição “Cio da Terra” do Museu Municipal de Caxias do Sul.

teatro

SÁBADO – DIA 30
-Grupo Vende-se Sonhos.
DOMINGO – DIA 31
-Grupo Balaio de Gatos – Peça “Abutres da arrebentação”.
-Peça Esperando Godot.


Grupo Balaio de Gatos em “Abutres da Arrebentação”. Foto de Vera Damian – Acervo pessoal.

Personagem

Personagem
Nelson Coelho de Castro estava no auge de sua carreira no Cio da Terra. A moçada sabia de cor as letras de “Armadilha”, “Vim Vadiá”, “Faz a Cabeça” e tantas outras. No show dos 25 anos, a galera mostrou que ainda sabe as letras de cor. Nelson se emocionou. Foto de Mário André Coelho, acervo pessoal do Zarabatana Café.

o pelado

o pelado
O pelado foi uma atração a parte. O sujeito andou peladão durante o evento, para espanto de alguns e diversão de outros. No sábado ele apareceu com o “bilau” pintado de azul e completou seu show subindo nas estruturas metálicas dos pavilhões. Ilustração de Zambi para a exposição “25 Anos do Cio da Terra”.

Palco

Palco
Montado em estruturas metálicas. Destaque para a belíssima pintura feita ao vivo na noite de sexta. Alguém sabe o paradeiro desta pintura? Foto: Acervo pessoal de Clóvis Stimamiglio.

TARANCÓN

TARANCÓN
Acervo pessoal de Vilson Freitas

Shows Locais

Shows Locais
Várias bandas Caxienses tocaram no evento como: Grapiúna (foto), Pauta Metal, Vertente, Psicose e Caco Nora. Foto: Acervo pessoal de Paulo Brás.

AFRO SUL

AFRO SUL
KK, Álvaro, Júlio, Romeu, Aninha, Figo, Kako, Marmou, Zé Mu, Trovão, Itoca e Ceres. Foto: acervo pessoal de Zé Luiz Marmou.

Poesia

Poesia
Havia poesia em toda parte. Em livros, em fanzines, em panfletos, recitadas nas rodas e nos palcos das oficinas. Sem esquecer o poeta caxiense Zé do Rio, que invadiu o palco principal para mostrar sua poesia. Acervo de Marcondes Tavare.

personagem

personagem
O poeta Zé do Rio recitou “A Morte da Macaca Catarina” no Cio e repetiu a dose na festa de 25 anos – Foto de Mário André Coelho. Acervo Pessoal do Zarabatana Café.

paz e amor

paz e amor


O visual da época era “hippie”. Muita roupa colorida, fitas, sandálias e bolsas de couro. Fotos de Vera Damian – Acervo Pessoal.

amor e paz

amor e paz
Válter e Mirna mudaram um pouco, mas continuam juntos, em Curitiba. Foto: Acervo pessoal de Válter Fagundes.

comida

comida
Não faltou rango para a galera! Tinha restaurante natural, barraca de sanduíche e cachorro quente. Sem contar que a moçada acabou com os estoques dos mercados próximos aos pavilhões. Rolou até churrasco. Foto de Vera Damian – Acervo pessoal.


A barraca de “sanduba” natural. Mais “natural” impossível. Acervo pessoal de Mário Luis dos Santos (o de boina)

A BARRACA

A BARRACA
Um dos sonhos da juventude, naqueles tempos, era o da “barraca própria”. Ter uma barraca significava autonomia nos acampamentos e, principalmente, garantia de uma vida sexual ativa. Vilson Freitas, o dono deste simbolo do evento, disse que a barraca ainda existe. Foto: Vera Damian – Arquivo Pessoal


Ilustração de Zambi para a exposição “25 Anos do Cio da Terra”.

Cartão Postal

Cartão Postal
Ponto turístico de Caxias do Sul em versão underground. Foto de Vera Damian – Acervo Pessoal.


Acervo pessoal de Vilson Freitas


Acervo pessoal de Vilson Freitas

capoeira

capoeira
A roda de capoeira foi atração no domingo, junto ao palco principal. Foto de Mário Luis dos Santos – Acervo Pessoal.


A galera prestigiando a roda de capoeira. Foto: Mário Luis dos Santos – Acervo pessoal.


Jornal Pioneiro – 09.10.07 – Reprodução

O GAITEIRO

O GAITEIRO
O gaiteiro anônimo tocava o tempo todo, sempre havia um grupo dançando em sua volta. Acervo pessoal de Vilson Freitas.

Vino Mio

Vino Mio
Quem bebeu não esqueceu! Foi muito consumido na sexta e teve Jorge Mautner como garoto-propaganda. Como o “day after” foi terrível, a galera optou pelos garrafões das cantinas próximas ao parque. Foto de Mário Luis dos Santos.

Imprensa

Imprensa
O 1º Encontro da Juventude Gaúcha, Cio da Terra, realizado em Caxias do Sul, neste último fim de semana alcançou seus objetivos, segundo Paulo gabriel e Éber Marzulo, da comissão organizadora. Contando com a participação de cerca de 15 mil jovens de todo o país, o evento primou pela harminia, paz e liberdade. Durante os três dias o clima do festival em nenhum momento baixou o nível, como muitos supunham que aconteceria. Com convidados de todo o Brasil, foram realizados debates sobre os mais variados temas, alguns inéditos como: sexualidade, drogas, cinema, teatro, problemas da mulher, negro e indio, e mais TV , sindicalismo, momento político atual. Os pontos abordados nos debates serão brevemente lançados em livro, com o nome Cio da Terra revista, que segundo beto Rodrigues, ex-secretário-geral da UEE (União Estadual de Estudantes) servirão de subsidio para o debate cultural que se insere em nossa luta pela transformação da sociedade. Maristel Pereira, uma da principais organizadoras dessa promoção, afirmou que “nós gostariamos de aprofundar muito essas questões que foram debatidas, mas sabíamos de antemão que seria quase impossível reunir um número tão grande de pessoas somente para discutir e possivelmente sairmos aqui de caxias com propostas concretas para pormos em prática em nosso movimento. Por isso fomos obrigados a organizar um grande show musical, que foi dividido em três partes, para podermos atrair um número de pessoas maior. As grandes estrelas musicais do Cio da Terra foram sem dúvida alguma: Jorge Mautner, Geraldo Azevedo, Ednardo, Sivuca e uma grata surpresa, principalmente para o público gaúcho, o grupo paulista Tarancón. Os shows que sempre iniciaram no fim da noite foram até o amanhecer do outro dia, com exceção da sexta feira, quando uma forte chuva impediu a apresentação da Bebeto Alves e a finalização do shoe de Nei Lisboa. Além do dabate cultural e shows musicais, o 1º Encontro da Juventude gaúcha reuniu um sem-número de escritores independentes que mostraram seu trabalho numa pequena feira e mais uma grande exposição de artes plásticas de artistas independentes brasileiros, argentinos e peruanos.Tarson Nuñes, um dos organizadores do Cio da Terra, disse que “valeu toda a mão de obra que tivemos, dias sem dormir, pois conseguimos algo inédito no Brasil; reunir 15 mil pessoas sem que houvesse incidentes. Tudo correu com o mais alto astral possível, num clima de muita paz, liberdade e unicidade de objetivos. A proposta política que anteviamos para o encontro se concretizou totalmente, sentimos a força da juventude na sua participação. Os jovens mostraram quen estão aqui é para firmar seu movimento, abrir espaços que precisamos dentro da sociedade. Sabemos que não vai ser nada fácil, mas a luta já começou”. Matéria do Jornal Pioneiro de Caxias do Sul, na época. Acervo pessoal de Eva e Marcondes Tavares.

Artesanato

Artesanato
A galera aproveitou para vender suas criações em artesanato.Acervo pessoal de Vilson Freitas.

Clip Pavão Misteryozo – Cio da Terra 1982

powered by

google_ad_section_start(name=default) –>

quinta-feira, 3 de julho de 2008

google_ad_section_end –>

Anúncios
Padrão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s