Sem categoria

Programa Paralelo 30

Programa Paralelo 30 na Rádio Buzina do Gasômetro

 

por Rogério Ratner

 

A Rádio Web Buzina do Gasômetro (http://www.buzinadogasometro.com.br) foi idealizada pelos músicos gaúchos Fausto Prado, Caetano Silveira, Luis Mauro Vianna e o ator João França. Com o patrocínio do Fumproarte, programa de financiamento à cultura da Prefeitura de Porto Alegre, a emissora entrou no ar no início de 2009. Sua proposta é a de divulgar exclusivamente a música feita em Porto Alegre e no RS de todos os gêneros e de todas as épocas. Assim, em sua concepção, a estação virtual foi pautada pelos objetivos de abrir espaços para os novos nomes do cenário local, com foco especialmente nos artistas independentes, que dificilmente conseguem divulgar os seus trabalhos nas rádios convencionais, e também o de resgatar a história e a memória da música feita no RS em todas as épocas, oportunizando às novas gerações de músicos e ao público em geral o contato com a produção que marcou época mas não está mais circulando nos meios de comunicação convencionais, ou sendo pouco divulgada. Ou seja, a idéia é estar com um olho no novo e inédito (principalmente no “novíssimo”), e com outro olho na vasta e maravilhosa herança em que se constitui toda a obra musical já produzida no Estado mais meridional do Brasil, abarcando todos os gêneros de música. Diante disto, a rádio Buzina roda qualquer tipo de som, sem preconceitos: samba, rock, MPB, nativista, bossa nova, blues, soul, funk, rap, tango, choro, erudita, jazz, instrumental, bolero, eletrônica, e o que mais vier.

Além da programação normal, que consiste na rodagem das faixas cadastradas pelos músicos, que criam a sua própria página no próprio site da Buzina (os arquivos devem ser enviados em MP3 de 518 Kbps), além de gravações constantes da discoteca da emissora, mediante a utilização do sistema randômico (há um programa de computador que aleatoriamente vai escolhendo as faixas, independentemente do gênero do artista/banda), a rádio conta atualmente também com programas semanais fixos. Outros programas já constaram também de sua grade de programação da rádio, como os elaborados pelos músicos Ilton Vaccari e Luciano Zanatta, dentre outras atrações.

O programa Buzina FM, que vai ao ar nas segundas-feiras às 22h na FM Cultura (apresentado por Fausto Prado, Caetano Silveira, Luis Mauro Vianna e Luíza Caspary), depois de ser transmitido pela estação aberta, é disponibilizado no site da Buzina para ser ouvido a qualquer hora (corresponde ao antigo programa “Diretoria”). O programa é pautado por entrevistas, divulgação de shows, comentários do que anda rolando na cena musical gaúcha, além, claro, da rodagem de músicas. Recentemente, foi realizado um grande show na Reitoria da UFRGS de lançamento do primeiro CD da Buzina do Gasômetro, que contou com diversos nomes da cena local.

O programa do Samba e Choro é produzido pelo produtor cultural Márcio Gobatto, um dos mais respeitados na seara musical, especialmente pelos projetos que elabora, e leva à apreciação pelo Fumproarte, pela Petrobrás e pela CEF, dentre outros. O programa pauta-se pelo resgate destes gêneros tão caros à MPB, geralmente enfocando os discos produzidos pelo próprio Márcio, através de sua “Odara Produções”.

O programa Receita do Artista – que inicialmente era apresentado por Leonardo Brawl e Marcelo Fruet, e, atualmente, apenas pelo último – conecta a rádio com a produção do underground, especialmente da cena roqueira atual e da MPB, sempre enfocando o trabalho de algum artista novo que está surgindo nestas áreas de atuação.

O programa Paralelo 30 é elaborado pelo músico Rogério Ratner (http://www.rogerioratner.com, http://bandasdorockgauchoforever.musicblog.com.br, http://rogerioratner.musicblog.com.br), e tem como proposta o resgate histórico da produção musical gaúcha de todos os gêneros e épocas, além de abrir espaço para a produção atual, especialmente para os músicos/bandas independentes que enviam os seus CDs por via postal. Neste quase um ano e meio em que o programa vem sendo veiculado, foram ao ar muitas entrevistas, programas especiais, rodadas faixas dos músicos independentes, etc. O nome do programa surgiu por idéia do diretor da rádio Fausto Prado, que foi prontamente acolhida, pois homenageia um disco lançado pela gravadora gaúcha Isaec em 1978, que foi um verdadeiro marco para a música de Porto Alegre (com produção do jornalista/compositor Juarez Fonseca, reuniu na mesma “bolacha” faixas dos compositores/cantores Raul Ellwanger, Bebeto Alves, Carlinhos Hartlieb, Nelson Coelho de Castro, Cláudio Vera Cruz e Nando D’ávila); justamente para homenagear esta produção tão simbólica, foram produzidos os especiais Paralelo 30, rodando na íntegra o “vinil”, e Paralelo 30 II, com a veiculação do CD comemorativo gravado junto à Orquestra Unisinos já nos anos 2000 (com os mesmos autores, sendo que os falecidos Carlinhos e Nando foram respectivamente substituídos por Gelson Oliveira e Zé Caradípia).

No programa Paralelo 30, ao longo de sua trajetória iniciada no começo de 2009, já foram ao ar entrevistas com os músicos Márcio Ventura (Os Arnaldos), Frank Franklin, Ciro Moreau, Nando Mello (Hangar), Adriana Marques (Rádio Esmeralda, em uma de suas últimas entrevistas), Karine Cunha, Adriana Deffenti, Ita Arnold, Leonardo Brawl (Subtropicais e Levitan e os Tripulantes), Vanessa Longoni, Sílvio Marques (Saracura), Nico Nicolaiewsky (Saracura/Tangos e Tragédias), Léo Henkin (Papas da Língua), Tonho Crocco (Ultramen), Monica Tomasi, Hélio (Cabala), Rafael Brasil, Lúcia Severo, Maria Lúcia, Yoli Planagumá, Dudu Sperb, Alexandre Vieira, Juarez Fonseca, Gambona, Midian Almeida, dentre outros.

Foram rodadas músicas de artistas/bandas tais como Cavalo Doido, Ângela Jobim, Sérgio Napp, Rodrigo Piva, Open Station, Bebeco Garcia, Karine Cunha, Loma, Yoli, Nico Nicolaiewsky, Egisto Dal Santo, Fróide Explica, Desirée, Delicatessen, Elis Regina, Tribuwudu, Diretoria, Cláudio Sander, Márcio Celi, Ita Arnold, Zé Caradípia, Gelson Oliveira, Nanci Araújo, Antônio Villeroy, Adriana Calcanhotto, Bebeto Alves, Nelson Coelho de Castro, Alexandre Vieira, Discocuecas, Raul Ellwanger, Raul Boeira, Arthur de Faria, Luciano Zanatta, Nei Lisboa, Engenheiros do Hawaii, Os Eles, Banda de Banda, Nenhum de Nós, Papas da Língua, Cabala, Hangar, Os Arnaldos, Os Subtropicais, Levitan e os Tripulantes, Hique Gomes, Tangos e Tragédias, Apocalypse, Borghetinho, Gilberto Monteiro, Teixeirinha (pai e filho), Carlinhos Hartlieb, Saracura, Casaco de Madame, Mauro Rotenberg, Marisa Rotenberg, Adriana Deffenti, Vanessa Longoni, Maria vai com as outras, João Palmeiro, Maria Lúcia, Toneco, Giba Giba, Silvana Cruz, Naura Elisa, Cláudio Levitan, Maria Luisa Benites, Elton Saldanha, Neto Fagundes, Ciro Moreau, Gambona, Bebeco Garcia, Eleu Salvador, Carlinhos Hartlieb, Leco Alves, Túlio Piva, Geraldo Flach, Jerônimo Jardim, Ivaldo Roque, Paulo Ruschel, Luiz Mauro, Mutinho, Jaime Lubianca, Expresso 21, Lupicínio Rodrigues, Alcides Gonçalves, Paulo Coelho, Plauto Machado, Plauto Cruz, Inconsciente Coletivo, Mozart e Anilson, Hallai Hallai, Élbia Solange, Gilberto Travi, Mário Barros, João Schu, Kleiton e Kledir, Almôndegas, Leonardo Ribeiro, Juarez Fonseca, Maritza Fabiane, Os Cleans, Os Brasas, Luis Eugênio, Conjunto Caravelle, Norberto Baldauf, Renato e seu conjunto, Sabino Loguércio, Edgar Pozzer, Manfredo Fest, Breno Sauer, Os Torto, Irmãos Rocha, 10.000 KPNR, Wander Wildner, TNT, Cascavelletes, Quebra-cabeça, Marcelo Delacroix, Grupo Ensaio, Hermes Aquino, Laís Marques, Cuidado que mancha, Lúcia Helena, Chandelle, Rádio Esmeralda, Adriana Marques, Simone Rasslan, Ultramen, Claus e Vanessa, Rogério Ratner, Fausto Prado e banda Casa de Asas, New/Luis Mauro Vianna, Paulo Dorfman, James Liberato, Luisinho Santos, Bethy Krieger, Rafael Brasil, Lúcia Severo, Mônica Tomasi, Loma, Egisto Dal Santo, Cláudio Vera Cruz, Graforréia Xilarmônica, Júlio Reny, Frank Franklin, Frank Jorge, Vídeohits, Bebeco Garcia, Gambona, Luis Mauro Vianna, Open Station, Almôndegas, Yanto Laitano, Ângelo Metz, Raiz de Pedra, Cheiro de Vida, Bilirubina, Nara Lisboa, Ricardo Barão, Chico Saratt, Frank Solari, Fernando Corona, Paixão Côrtes, Barbosa Lessa, Paulo Lata Velha, K West, Luciana Costa, Tok Sutil, Marisa Rotenberg, Bedeu, Henrique Mann, André Coelho, Cigano, Carlos Medina, Banda de Banda, Bandaliera, Jimi Joe, Cláudio Sander, Mutuca, Cláudio Spritzer, João Pernambuco, POETs, Ronald Augusto, Cláudio Vera Cruz, Nando D’ávila, Nando Gross e os Altofalantes, Impacto, Conjunto Farroupilha, Justa Causa, Luis Vagner, Pupilas Dilatadas, Prize, Solon Fishbone, Ângelo Vigo, Garotos da Rua, Bixo da Seda, Fughetti Luz, Liverpool, Almôndegas, Zé Flávio, Luciana Costa, Xumby, Gilberto Monteiro, Gilberto Franco, Lítera, Jorge Herrmann e a Falha de Santo André, Beto Herrmann, Midian Almeida, Flora Almeida, Alegre Corrêa, Louca Sedução, Pagode do Dorinho, Isabela Fogaça, Alcides Gerardi, Nelson Gonçalves, Wanderley Falkenberg, Saudade Instantânea, Rola Blues, Moreirinha e os seus suspiram blues, Leonardo, Bandida, Doidivanas, Mutinho, Geraldo Flach, Quartchêto, Arrabalero, Dudu Sperb, K 30, Nada Público, Taxi Drive, Felipe Franco, Glória Oliveira, Nando D’ávila, José Pedro Boessio, Orquestra Unisinos, Banda Municipal de Porto Alegre, Da Guedes, Wonkavision, Maria Helena Andrade, Lourdes Rodrigues, Mário Falcão, Alex de Souza, Carlos Patrício, Gil Gérson, Luciano Mello, Nei Van Sória, Thedy Corrêa, Alemão Ronaldo, Marcos Bonilla, Paulinho Supekóvia, Galileu Arruda, Canto Livre, Mery Teresinha, Léo Ferlauto, Antônio Carlos Falcão, Miscelânea K, Vitor Ramil, Oly Jr., Mendigos da Noite, Celso Iuck, Fernando Ribeiro, Arnaldo Sisson, Nelson Coelho de Castro, Juntos, Jorginho do Trumpete, Cláudio Sander, Luciana Preto, Luciana Prass, Fróide Explica, Produto Nacional, Motivos Óbvios, Bruno Kiefer, Vitor Hugo, Dedé Ribeiro, Dedé Ferlauto, Kako Xavier, Jazz 6, Wander Wildner, Edu K, Os Replicantes, Márcio Celi, Armandinho, Araújo Vianna, Necka Ayala, V 8, Astaroth, Pública, Elaine Geissler, Calique, Pouca Vogal, Navegadores do Deserto, Greice Moreli, João Almeida Neto, Yamandu Costa, Luis Santanna, Os Totais, Chico Ferretti, Relógios de Frederico, Fábio Mentz, Marcelo Fruet, Valhala, De Falla, Márcio Celi, Xuxa, Os Posteiros, Cuidado Menina, Pery Souza, Airton Pimentel, Cordas e Rimas, Tangos e Tragédias, Plauto Cruz, Eduardo Nadruz, Ângelo Vigo, Bizarro, Bobo da Corte, Khaos, Cao Trein, Utopia, Pedrinho Figueiredo, Barbosa Lessa, Muni, Pupilas Dilatadas, Márcio Petracco, Luciano Albo, Grupo Rebenque, Ismália, Vera Loca, Doce Veneno, Cachorro Grande, Rosa Tatooada, Júpiter Apple, The Dharma Lovers, Alberto Oliveira, Jorge Foques, Danni Calixto, Nana Chaves, Os Argonautas, Isabel L’aryan, Os Fagundes, Joe (Zezinho Athanásio), Ana Mazotti, Groove James, Shana Muller, Hangar, Léa Cintra, Chaminé Blues Band, Câmbio Negro, Deio Escobar, Maurício Marques, Nethra, Harmadilha, Cidadão Quem, Acústicos e Valvulados, Anahatta, Fernando Mattos, Annie Perec, Os Tapes, Guerrilheiro Antinuclear, Quintal de Clorofila, A Barata Oriental, Mutuca, Astronauta Pinguim, Automóvel Verde, Hard Working Band, Rubens Santos, Ana Kruger, Rui Biriva, dentre muitos outros.

Já foram ao ar também os programas especiais relativos ao tropicalismo gaúcho, rock gaúcho dos anos 70, 80 e 90, jovem guarda gaúcha, samba rock gaúcho, Mr. Lee (Rádio Continental) I, II e III, Liverpool-Bixo da Seda, Moenda da Canção, Teixeirinha, Almôndegas, Alcides Gerardi, Lupicínio Rodrigues canta Lupicínio, Elis Regina canta os compositores gaúchos, Manfredo Fest-Breno Sauer, Conjunto Farroupilha, Os Brasas, Hermes Aquino, Discocuecas, Carlinhos Hartlieb, Bebeco Garcia, dentre outros (alguns ainda estão disponíveis para escuta a qualquer hora, basta clicar em cima do ícone do programa na página da rádio). E muito mais vem por aí….

Enfim, a proposta do programa é “tirar o pó” da coleção de vinis de Rogério Ratner, que abarca uma parte razoável da produção musical gaúcha em diversos estilos ao longo do século XX, gravações em fita cassete nunca lançadas comercialmente (no estado em que estiverem, em atenção ao seu valor histórico), várias doadas por artistas, bem como rodar os inúmeros CDs lançados e os arquivos de MP3 atuais (boa parte das capas dos discos da coleção estão disponíveis no blog http://bandasdorockgauchoforever.musicblog.com.br ), dando uma noção geral do que já foi produzido por aqui e apontando também para os novos trabalhos que vem surgindo. O espaço – embora limitado à sua duração de uma hora semanal – está aberto para os músicos que quiserem enviar o seu material (os interessados podem mandar uma mensagem para o email Ratner@ig.com.br, que receberão as instruções de como fazê-lo), sempre lembrando que cada artista/banda pode criar a sua própria página também no site da Buzina do Gasômetro. E também a contribuição dos ouvintes que tenham material de bandas e artistas de todas as épocas e estilos também sempre é muito benvinda.

 

adicionar um comentário

permalink

Especial dos Discocuecas no Programa Paralelo 30  escrito em segunda 09 agosto 2010 03:30

No programa Paralelo 30, produzido pelo cantor/compositor Rogério Ratner, que vai ao ar na http://www.buzinadogasometro.com.br, esta semana rola o especial dos Discocuecas, o lendário grupo gaúcho dos anos 70 que tirava sarro da onda da discoteca com muito humor. Integravam o grupo Júlio Fürst (Mestre Júlio), João Antônio (Toninho Badaró), Jorge Dorsch (Beto Roncaferro) e Gilberto Travi. O programa pode ser ouvido a qualquer hora, basta clicar no ícone do Paralelo 30.

adicionar um comentário

permalink

Programa Paralelo 30 especial “Lupicínio canta Lupicínio”  escrito em quarta 18 agosto 2010 03:27

 

No programa Paralelo 30 desta semana, produzido pelo cantor/compositor/escritor gaúcho Rogério Ratner, na Rádio Buzina do Gasômetro (http://www.radiobuzina.com.br), vai ao ar o especial “Lupicínio Rodrigues canta Lupicínio”, mostrando que o compositor, quando interpretava as suas canções, mandava muito bem. Curiosamente, e em contraste com a temática exaltada de suas letras e melodias, seu estilo de cantar beirava o “cool”, com muito sentimento, mas de forma sutil (tipo “chorando baixinho”), forma de interpretar bem diversa da maioria dos cantores que gravaram as suas canções durante a chamada “Época de Ouro do Rádio”, prenunciando, de algum modo, as interpretações bossanovistas, tropicalistas e mpbistas. No especial rodam, ainda, algumas gravações clássicas de canções de Lupi, feitas por grandes nomes da MPB, e que retiramos do recentemente lançado cd que acompanha o fascículo da coleção “Folha – Raízes da MPB”, da Folha de São Paulo. O texto do fascículo foi elaborado pelo músico e jornalista gaúcho Arthur de Faria, dono de uma prosa muito fluente. Vale a pena comparar os diferentes modos de interpretar constantes  das gravações que selecionamos, pelo interessante contraste que apresentam em termos de “approach”. O programa pode ser ouvido a qualquer hora, basta clicar no ícone do Paralelo 30, na página da Buzina, a rádio que roda exclusivamente a música de Porto Alegre e gaúcha.

 

Anúncios
Padrão
Sem categoria

Rádio Ipanema FM

permalink

A Ipanema FM – Festa de 27 anos  escrito em quinta 18 novembro 2010 10:44

27 anos de rádio IPANEMA FM

Evento Público Foto do Evento

 
Quando: domingo, 21 de novembro de 2010 12:00 – 22:00 BRST
Onde: ANFITEATRO POR DO SOL – PORTO ALEGRE
PARQUE MARINHA DO BRASIL
PORTO ALEGRE RS 90000-000 Obter Direções

Por Rogério Ratner

 A Ipanema FM está completando 27 anos, quem diria, e, aliás, estou ficando velho, nem havia me dado conta de que já passou tanto tempo assim. Pois é. Comecei a ouvir a Rádio ainda quando a sua sede ficava na rua José Bonifácio, e se chamava Bandeirantes FM. Depois mudou o nome pra Ipanema, e a Bandeirantes (BAND) funcionou paralelamente, com um perfil mais adulto (mais ou menos como a Antena 1, só que com um viés cultural), hoje a Band FM reproduz a Band AM, caminho tomado também agora pela Gaúcha AM e FM.

Bom, no início a Rádio Ipanema não era especificamente voltada  ao rock, embora tivesse um programa sensacional lá pela meia-noite, a cargo do Ricardo Barão, que centrava foco no rock e inclusive no hard rock (na época chamávamos o som de bandas como AC/DC, Led Zeppelin, etc., como heavy metal, hoje acho que elas seriam “levinhas” considerando o que veio depois). O Barão também abria espaço para o rock local, no seu programa foi que ouvi o Júlio Reny pela primeira vez, a sua fita cassete com “Cine Marabá” (mais recentemente lançada em CD) rodava muito no programa. Era mais uma rádio de MPB “alternativa” e música pop/rock estrangeira, com espaço para muitas saladas sonoras e avessa a classificações mais rigorosas. Assim, era através das ondas da Band/Ipanema que ouvíamos, no início dos anos 80, o pessoal da vanguarda paulista (Arrigo Barnabé, Tetê Espíndola, Itamar Assumpção), e expoentes da MPG, tais como Nei Lisboa, Bebeto Alves, Nelson Coelho de Castro, Felipe Franco, etc. Foi nesta fase, já quando a rádio funcionava nos seus atuais estúdios, no morro Santo Antônio, que uma vez eu e meu amigo Auriu Irigoite (hoje baixista radicado no Rio) fomos entrevistados pela Katia Suman, a respeito do show que íamos fazer na Terreira da Tribo. Nós tocamos “ao vivo” com nossos violões, nosso som era MPB meio “Clube da Esquina”, na época. A Katia Suman (que hoje apresenta o programa Camarote, na TVCOM) já era, na ocasião, uma radialista bem anti-convencional. Quando chegamos lá, achei que havia alguma coisa errada, pois ela estava sentada no chão (parecia em crise existencial e desolada), para logo a seguir se levantar e se movimentar freneticamente, bem faceira e simpática, no pequeno estúdio (o qual, aliás, era na sala ao lado do atual, e que depois passou a ser da Band FM), rss. Enfim, era um clima bem diferente do de uma rádio convencional, digamos assim. Foi bem legal a entrevista, tenho gravada numa fitinha cassete.

A primeira Ipanema contava, além da Katia e o Barão, com o Nilton Fernando, o Mauro Borba (hoje na POP Rock), a Mery Mezzari (que, pelo que vi, parece ter sido demitida nos últimos dias, era a última remanescente original), a Bete Portugal, dentre outros, enfim, tinha uma equipe bem legal, que usava uma linguagem coloquial, mas não na linha dos apresentadores da Cidade FM ou da Atlântida FM, era um lance mais cool, simples, despojado. Depois, com o surgimento do rock nacional dos 80, e, mais especificamente, da cena desenvolvida aqui do início daquela década em diante, a Ipanema foi gradativamente se transformando em uma “rádio rock”, mas sem bitolagem. Foi um canal fundamental para a difusão da cena roqueira nacional (Legião, Paralamas, Titãs, etc.) e gaúcha, rodando diversas fitas “demo” de bandas como os Engenheiros do Hawaii, TNT, Cascavelletes, Garotos da Rua, etc. Quando falo sem bitolação, é porque se permitia continuar com a proposta da diversidade musical, embora este pendor mais para o rock. Pra dar um exemplo de como a coisa funcionava, em 1992 eu estava cantando standards de jazz, e dei uma entrevista para a Nara Sarmento, então apresentadora da “tarde” da rádio. Embora aquilo fosse, teoricamente, fora da proposta normal de uma “rádio rock”, na Ipanema havia espaço praticamente pra qualquer coisa, desde que em doses homeopáticas. Depois, quando lancei meu primeiro CD, em 1997, o pessoal rodou algumas músicas, além de eu ter dado entrevistas para a Mery Mezzari e o Silvinho. Mas a rádio atualmente mantém uma programação bem diversificada, incluindo um programa de jazz e o programa do Mutuca, aos sábados, que resgata o rock das antigas, e é bem legal. Há vários outros programas interessantes, além da programação normal. Muita gente boa já passou pelo comando dos microfones da Ipanema nesta longa história… além dos já citados, podemos apontar o Alemão Vitor Hugo (que apresenta o programa da manhã), o Cláudio Cunha, o Piá, o Eduardo Santos, o Porã (atualmente no Pretinho Básico da Atlântida FM), o Júlio Reny, enfim, muitos nomes. Atualmente está sob a direção de Eron Dalmolin. 

A rádio atualmente pode ser ouvida na internet, basta entrar no site. Parabéns à Ipanema, que venham mais 27 anos de glórias e muitas “loucuras”, já que é a “ovelha negra”, a rádio dos “loucos”. O show, cujo serviço está no começo, vai reunir diversos nomes da cena roqueira/pop gaúcha.

permalink

Show de Aniversário da Rádio Buzina do Gasômetro  escrito em sexta 19 novembro 2010 06:43

       Dando continuidade às comemorações do 2º aniversário da Rádio Buzina, convidamos a todos para o evento “Usina na Praça” com o show de Nelson Coelho de Castro, Marisa Rotenberg, Gelson Oliveira e Monica Tomasi.   O espetáculo acontece neste domingo dia 21 de novembro às 17 horas na praça anexa à Usina do Gasômetro e tem entrada franca.   Prestigie nossa música ! Contamos com a sua presença. Até lá !     Blog de bandasdorockgauchoforever : bandas do rock gaúcho forever, Show de Aniversário da Rádio Buzina do Gasômetro

permalink

Araújo Vianna. com. br  escrito em sexta 19 novembro 2010 09:30

No site http://www.araujovianna.com.br consta um documentário contando diversas histórias envolvendo o auditório Araújo Vianna, palco histórico da música de Porto Alegre, especialmente da MPB e do Rock. Há notícias de que no ano que vem alguma coisa vai acontecer, não sei se é o início das obras ou a reinauguração, em face do projeto da Opus Promoções. Após a coisa ter ido para o “buraco negro” por alguns anos, parece que agora vai. O documentário, que pode ser visto online, tem entrevistas de Nei Lisboa, Bebeto Alves, Nico e Hique Gomes, Wander Wildner, Humberto Gessinger….. Bem legal. O Araújo foi um dos primeiros lugares em que me apresentei, lá no distante ano de 1984, num projeto que rolava aos domingos à tarde com entrada franca.

permalink

Paul McCartney no Brasil  escrito em segunda 22 novembro 2010 09:20

Embora a voz já dê sinais de desgaste, Paul McCartney deu enormes mostras de profissionalismo, carinho e respeito pelos fãs em sua série de shows no Brasil. Paul, em sua “terceira idade”, só faz confirmar a convicção de que ele se trata de um dos maiores ícones do rock e do pop de todos os tempos, do quilate de um Elvis Presley, de um Little Richard. O desfile de seus hits da fase dos “Wings”, perfilados com os clássicos espetaculares dos “Beatles”, nos demonstra como Paul evoluiu do formato pop/ rock comum para a composição de verdadeiras suítes populares. Os grupos e artistas do rock progressivo – que, conforme alguns especialistas apontam, teria sido inspirado  pelo clássico álbum psicodélico Sgt. Pepper’s – dos anos 70, de um modo geral, tentaram trilhar o intrincado caminho das colagens e mudanças de ritmos e estilos dentro de uma mesma música, da variação de climas, das oscilações na dinâmica, mas muito comumente erravam a mão, transformando a “viagem” em algo disperso, hermético. Paul, contudo, conseguiu a proeza de fazer evoluir o seu rock por este caminho, sem perder, em qualquer instante, o alto teor pop de suas canções no período pós-beatles. É por isso que músicas como “Jet”, “Live and let die” e “Band on the run”, dentre outras, são clássicos imbatíveis, o ápice conseguido no universo roqueiro de todos os tempos  em termos de evolução estrutural, de riqueza de arranjos, de dinâmica, entre outros aspectos. Neste sentido, e vista a questão sob o ângulo puramente musical, é notório que Paul sempre foi um músico muito superior a John Lennon, embora este fosse também, sem dúvida, um grande melodista. Mas Paul, musicalmente falando (com relação às letras  fica a dever em relação a John), é de uma complexidade jamais alcançada no universo roqueiro, quiçá nunca superável por outro artista ou grupo de músicos.

Destaque nos shows também para a excelente banda que acompanhou Paul no Brasil. A produção, em termos visuais, também foi super caprichada, inclusive com fogos de artifício não economizados. 

Padrão
Sem categoria

Bares e Botecos

Bom Fim – Exposição no Museu da UFRGS  escrito em sexta 31 dezembro 2010 09:47

por Rogério Ratner

Fomos ver ontem a exposição em homenagem ao Bom Fim, no Museu da UFRGS. É espetacular!!! Imperdível!!!!

Muito bem cuidada do ponto de vista visual,  reúne fotos antigas e atuais, cartazes de shows, artigos de jornais, objetos, etc., com painéis explicativas, resgatando não apenas fatos relevantes ao bairro em que me criei, mas inclusive da história da Capital Gaúcha.

A exposição foi dividida em módulos. Há um que trata das origens do bairro, que gravitou em torno da abertura do “Caminho do Meio”. Há fotografias preciosas da abertura, ampliação e urbanização  do “Caminho do Meio”, denominação antiga das avenidas Oswaldo Aranha e Protásio Alves.

Um módulo relaciona o bairro com a Colônia Africana, quando o mesmo não se distinguia muito do que hoje é denominado como Rio Branco. Foram expostas fotos dos escravos e ex-escravos, com o assinalamento de que o campo da Redenção (hoje Parque Farroupilha, o qual foi criado para a exposição do centenário da Revolução Farroupilha, em 1935) servia de refúgio e área de escape para membros da população negra, antes da abolição, e, depois, como espaço de convivência, ou pólo de “batuques”, conforme denominou estas reuniões Walter Spalding, em livro acerca da história desta etnia em Porto Alegre cujo excerto foi reproduzido no painel.

Outro módulo trata dos imigrantes que chegaram já no final do século XIX e outros que vieram no século XX. É o caso dos italianos, e constam fotos da construção da sociedade italiana, prédio centenário que ainda continua firme e forte na esquina das ruas Cauduro e João Telles.

Há destaque também para o “gueto judeu” (no sentido carinhoso, claro) em que de certa forma se transformou o bairro a partir dos anos 20, com depoimentos de Moacir Scliar e de vários moradores, recolhidos do acervo do Instituto Cultural Judaico Marc Chagall, que contêm belas fotos e muito enriqueceu a exposição. Há fotos das sinagogas, inclusive do Poilisher Farband (sinagoga dos judeus poloneses, que o meu pai frequentava), prédio que foi demolido para a construção da sede da Federação Israelita do Rio Grande do Sul. A sinagoga existe hoje dentro do prédio da Federação. Interessantíssimo o destaque que foi dado à contribuição judaica à organização do movimento sindical gaúcho, com o depoimento do jornalista João Batista Marçal, e com fotos destacando a criação dos sindicatos dos têxteis e dos alfaiates por membros desta etnia. Também há um espaço dedicado ao  Clube de Cultura, entidade que ainda hoje está funcionando apesar das dificuldades, e que foi criada por alguns “roiter idn” (de viés socialista–progressista-comunista). Dentre eles, parentes do Moacir Scliar, do Flávio Koutzii, dos Rotenberg, etc. Muito bonitas as fotos da homenagem ao Levante do Gueto de Varsóvia, que foi realizada na sede do Clube em 1958, reunindo a comunidade judaica em peso. O Clube de Cultura, além de seu viés político, teve papel fundamental como espaço alternativo para a música, a literatura, o teatro, a dança, e as artes plásticas produzidas na capital nos anos 60/70. 

Outro viés fabuloso da exposição  é o espaço dedicado  aos aspectos culturais e recreativos. No segundo andar, foi reproduzido um boteco tipicamente bomfiniano, “layout” que hoje, a bem da verdade, só esta “vivo” através da Lancheria do Parque. Há destaque para as histórias da Esquina Maldita, que abrigou os bares Alaska, Estudantil, Copa 70 e Mariu’s, de saudosa memória.  Também foram aludidos o Bar Ocidente, o Bar João, o Bar Lola, o Bar Redenção, entre outros estabelecimentos “oswaldoarânicos” e dos arredores, que reuniam os “malucos” nos anos 80. No segundo andar há algumas fotos que, infelizmente, não foram identificadas pela organização da exposição. Uma é do Bar Redenção, outra do João (onde o meu pai “batia o ponto” na sinuca, e às vezes no carteado), que ficava ao lado, outra do Armazém Internacional (onde hoje funciona o Kronk’s), mas algumas não conseguimos sacar a que casas se referem… tem uma que parece ser o Lola, mas visto da perspectiva de dentro do bar para a Oswaldo. Faltou uma foto do histórico “Fedor” (Schtink), o Bar do Serafim, talvez o mais paradigmático boteco da fase “clássica” do Bom Fim. Lembro bem do fim do “Fedor”: uns uruguaios botaram uma pizzaria que fazia também empanados bem onde hoje funciona um banco, na esquina da Oswaldo com a Felipe Camarão. A pizza, aliás, era muito boa. Contudo, um dia o estabelecimento pegou fogo e o Serafim se foi “no carreto”, já que era grudado no outro. Depois construíram o prédio de escritórios que hoje guarnece o local. Eu devia ter uns dez anos quando isto ocorreu. Foi uma coisa bastante divulgada e que trouxe consternação na “civilização bomfiniana”, pois era um histórico local de convivência dos homens “idish”, o meu pai ia muito lá jogar sinuca. E também era muito frequentado pela comunidade cultural, pessoal do teatro, música e dança. Além de incluir um público bastante variado e vasto, incluindo bêbados contumazes, batedores de carteira, ex-detentos, eventuais mariposas e o que mais fosse, formando uma “salada humana” das mais ricas, em termos sócio-econômicos-culturais-étnicos-religiosos-antropológicos-sociológicos e o escambau. 

Também há um espaço dedicado aos históricos shows realizados no Auditório Araújo Vianna, reunindo a galera roqueira (há “boxes” com souvenirs dos Replicantes, Colarinhos Caóticos, Urubu Rei (grupo teatral Balaio de Gatos), cartazes dos shows, etc. Também são maravilhosas as fotos do acervo de Renato, que, com seu conjunto melódico brilhou nos anos 60 nos famosos bailes, dos quais o mais notório rolava na Reitoria da UFRGS. Um dos cliques mostra o conjunto com a sua crooner Elis Regina (a Pimentinha emprestou a sua voz a diversos conjuntos do gênero, atuando em inúmeras reuniões dançantes, em sua fase “pré-fama” nacional). Dentre os componentes, destaque para o guitarrista (hoje percussionista) Fernando do Ó, o trompetista Luis Fernando Rocha, Carlos Calcanhotto (pai da Adriana), dentre outros músicos muito feras daquela cena. O Luis Fernando Veríssimo integrou o grupo, mas, ao que parece, não está na foto. Os conjuntos melódicos foram os “pais” dos conjuntos “modernos” ou de iê-iê-iê, surgidos no rastro da Jovem Guarda. Também são esplêndidas as fotos do Arquisamba e do Festival da Arquitetura de 1968 (aparece a cantora Érica Norimar, dentre outros).

Os cinemas Baltimore e Bristol, tão importantes para a vida cultural do Bom Fim, também foram referidos. E ainda há outras coisas mais a ver.  

Enfim, há inúmeros atrativos que justificam a visita ao Museu da UFRGS, na exposição que ficará aberta até julho/2011, durante a semana, das 9h às 18h. Ainda mais que a  entrada é franca (grátis). Seria interessante  que a organização conseguisse disponibilizar, ao menos neste período de férias escolares, o estacionamento junto ao Colégio de Aplicação, uma vez que o ponto negativo que se pode apontar é justamente este de não ter um lugar bom para parar o carro. Com as reformas do túnel da Conceição, a região está “minada” de duplas de azuizinhos, sempre ávidos por multar os incautos condutores a torto e a direito por qualquer motivo. Tive que deixar o carro na rua, na Sarmento Leite, em um local que o rapaz do estacionamento da UFRGS disse não ser proibido parar, mas a gente sempre fica em dúvida se não vai ter alguma surpresinha chegando pelo correio, né?  

Uma coisa bacana que aconteceu é que na mesma hora em que estávamos lá, um senhor que morava ali em frente (justamente na pista que desemboca no túnel) em uma casa que foi demolida quando desapropriada para dar vazão  à obra foi fazer a sua visita. Ele passou informações preciosas sobre o bairro em que morou por anos a fio, para nós e para as simpaticíssimas guias da exposição. Por exemplo, eu não sabia que ali onde há a pista que vai dar no túnel era  tudo ocupado por casas, e que para se ir ao centro, seguia-se pela pista da Oswaldo Aranha reto, passando-se pelos prédios da Engenharia e subindo a João Pessoa-Salgado Filho. Lembro bem da inauguração do túnel, foi um acontecimento na cidade. Todo mundo que tinha carro “precisava”  dar uma passadinha pra “inaugurar” a obra, então considerada de proporções gigantescas e inédita; meu pai botou todo mundo dentro do nosso Chevrolet Stylemaster 46 para o mítico passeio. Eu devia ter uns cinco anos, por aí. Mas não me lembrava de como era a região antes do túnel, e o velhinho deu informações ótimas. Ele era amigo do Serafim e dos demais donos de bares, e soube relatar muitas coisas legais sobre a história do bairro. Por exemplo, onde hoje funciona o Ocidente teria tido um clube de futebol, cujo campo era o Ramiro Souto, e também o bar Extremo Oriente. A exposição aponta que ali também teve sede um grupo sionista juvenil.

Inclusive sugerimos às guias que se pense na possibilidade de deixar algum estudante da Fabico ou da área de cinema “de plantão”, pra filmar estantaneamente depoimentos de pessoas que aparecem por lá e têm muito pra contar. Isso seria muito legal, pois com certeza ia enriquecer muito o cabedal de informações, e poderia ser disponibilizado no site da exposição.

Enfim, visitar a exposição é uma ótima pedida. O prédio fica bem na esquina da Oswaldo com a Sarmento Leite. É na mesma  calçada do prédio da Arquitetura, pra quem vem do centro, ou da Educação, pra quem vem pela Sarmento Leite.

Acesse o site do Museu para obter mais informações. 

permalink

Bar Ocidente – 30 anos – Coletivo na Veneta – Documentário  escrito em sexta 31 dezembro 2010 10:11

por Rogério Ratner

 

Ficou bem legal o documentário de áudio produzido pelo Coletivo na Veneta sobre os 30 anos do Bar Ocidente. Tivemos a honra de ser convidado pelo Ricardo, para dar um depoimento, pena que o áudio da gravação da ligação por celular não ficou bom (alô claro digital, vamos melhorar!!!), mas com algum esforço dá pra ouvir.

O documentário de cerca de meia hora conta a história do mítico bar desde a sua inauguração. Um dos fundadores originais, e que continua à testa do estabelecimento, o arquiteto e artista plástico Fiapo Barth esquadrinha as propostas, objetivos, demandas culturais  e finalidades que levaram à idéia de abrir o bar, além de contar inúmeras histórias bacanas que abrangem desde as origens até os dias atuais. Muito legal também foi a idéia do pessoal de dar  destaque às atividades e festas clássicas que vão e foram ao ar no Ocidente, caso da Balonê, etc. Também há os depoimentos de vários dos frequentadores ilustres, tais como os da jornalista e apresentadora Kátia Suman, do cantor Wander Wildner, da escritora Cláudia Tajes, dentre outros. Acesse no endereço abaixo e conheça um pouco mais sobre a história deste bar tão fundamental na história cultural de Porto Alegre.

http://www.coletivoveneta.com/1cultura-e-liberdade-em-porto-alegre-%E2%80%93-os-30-anos-do-bar-ocidente/

permalink

BARES, BOTECOS, CASAS DE ESPETÁCULO, RESTAURANTES DE PORTO ALEGRE  escrito em sexta 31 dezembro 2010 15:47

Os bares (muitos deles com música ao vivo), botecos, restaurantes, casas de espetáculos, boates, são um importante espaço de convivência urbana. Contudo, infelizmente, poucos são os que apresentam grande longevidade. Qual uma roda viva, a noite vai sempre se renovando, um espaço perde o tempo de “validade” ou sua vitalidade, e não raro os mesmos endereços vão sendo ocupados por uma nova casa, e, ainda, outros espaços novos vão sendo abertos, acompanhando as inovações culturais que vão surgindo no universo social/cultural de Porto Alegre. Não obstante, tais estabelecimentos muitas vezes ficam na memória das pessoas, guardando muitas lembranças pessoais. E esta memória, uma vez que está na “cabeça” dos frequentadores, seguidamente vai se perdendo junto com o desaparecimento dos estabelecimentos (embora, claro, fiquem registros nos arquivos de jornais, revistas, etc.). Na noite, no ramo do entretenimento e da gastronomia, a Capital gaúcha sempre teve inúmeros estabelecimentos espalhados por toda a sua geografia. Contudo, ciclicamente, alguns locais, bairros ou zonas da cidade vivem o seu boom e se destacam em relação aos demais. Na  história de Porto Alegre, ao longo do século 20, ficaram célebres diversos points, que tiveram seus auge e decadência. Podemos lembrar, por exemplo, da época  dos cafés e confeitarias da Rua da Praia e seu entorno; dos grandes cabarés do Centro, no entorno da Voluntários da Pátria; dos bares da subida da Protásio Alves; da Esquina Maldita e dos bares do Bom Fim; dos bares da 24 de outubro, e, atualmente, da Cidade Baixa e da Calçada da Fama (Rua Padre Chagas), etc. 

Então decidimos relembrar importantes estabelecimentos do passado (e, porque não, também os não tão importantes) e igualmente os atuais, de forma a ajudar na preservação da memória histórica coletiva e afetiva de Porto Alegre. Se vocês lembrarem de bares, boates, restaurantes, etc., que não estiverem na lista, ou quiserem contar histórias relacionadas, por favor, fiquem à vontade. Vai aí então uma listagem (sempre incompleta, claro):

Bar do Beto/ Tirol/ Encouraçado Butikim/ Pedrini/ Tuim/ Naval/ Treviso/ Restaurante Ghilosso/ Galeto do Marreta/ Bar Salim/ Whisky a go go/ Aldeia 2/ Bar do Clube de Cultura/ Bar do IAB/ Café Charlot/ Café Paris/ Caliente/ Gota D’água/ Porão do Beco/ Bar Serafim (Fedor-Schtink)/ Bar João/ Churrascaria Minuano/ Churrascaria Santa Helena/ Tigela de Barro/ Caminho de Casa/ Bar Marcelina/ Doce Vida/ Fim de Século/ Discoate/ Hipoppotamus/ Bar Opinião/ Walter/ Bar Lola/ Sebastian/ Gotham City/ Canecão do Sul/ Escaler/ Luar/ Lancheria do Parque/ Porto de Elis/ Zelig Bar/ Churrascaria Barranco/ Churrascaria Moinhos de Vento/ Riverside’s/ Caminho de Casa/ Zelig Bar/ Bar Bomfim/ Café da Bruxa/ Mateus/ Brahms/ Churrascaria Santo Antônio/ Vassouras/ Van Gogh/ Baumbach Ratskeller/ Riverside’s Shikky/ Pulperia/ Galeto Santa Maria/ Copa 70/ Galetão/ Churrascaria Komka/ Theatro Mágico/ Cine Theatro Ypiranga/ Bucanero/ Cult Bar/ Companhia dos Sanduíches/ L’atmosphere/ Le Club/ Pagoda/ Nanquim/ Manara/ Verde/ Crocodilos/ Ovo de Colombo/ Kafka bar/ Villa/ Cord/ Fazendo Artes/ Rocket 88/ Feito à mão/ Cais/ Publicitá Café/ Elo Perdido/ Ópera Rock/ Hooters/ Theatro e Cia./ Juliu’s 84/ Adega/ Porto Velho/ Kripton/ Cachorro do Rosário/ Trianon/ Alaska/ Caverna do Ratão/ Café com Leite/ Se acaso você chegasse/ Champub/ Cacimba/ Bierstube/ Água na Boca/ Garagem Hermética/ Carinhoso/ Big Som/ Lugar Comum/ Sala Jazz Tom Jobim/ Bogart’s/ Macanudo/ Bailanta do Tio Flor/ Dr. Jekill/ Santa Mônica/ Bere Balare/ Pagoda/ Paraphernália/ Cervejaria nº 1/ Lokal nº 1/ Chalé da Praça 15/ Rola Rock/ Bambu’s/ Queens/ Baco’s/ Brahms/ Gambrinu’s/ Chalaça/ Basttidores/ Stuttgardt/ Marco Zero/ Arquipélago/ Mr. Dam/ Dom Vitto/ Saci/ Mosqueteiro/ Massolin de Fiori/ Carina Barlett/ Choppão/ New Looking/ Refugiu’s/ Fim de Século/ Roseplace/ Mosqueteiro/ Bar da Nega Lu/ Casarão/ Mariu’s/

Saci/ Barranquinho/ Prinz/ Baalbek/ Lubnan/ Al Manara/ Pastaciutta/ Delírio Lilás/ Peccados Mortaes/ Batelão/ Clube dos Cozinheiros/ Gente da Noite/ Chão de Estrelas/ Maipu/ American Boite/ Chipp’s/ Companhia dos Sanduíches/ Companhia das Pizzas/ Zé do Passaporte/ Bar Líder/ Sherazade/ Alaska/ Tivoli Bar/ Recanto do Tio Flor/ Cervejaria Berlim/ Karandache/ Dragão Verde/ Vulcão/ Gruta Azul/ Caleche/ Choppana/ João de Barro/ Birra e Pasta/ 936/ Varanda/  Bar do Marinho/ Bond’eu/ Avião/ Turis Club/ Madrigal/ Golden Girls/ Zé do Pão/ Crazy Horse/ Espaço Cultural 512/ Joe’s/ Vitrine Gaúcha/ Alphorria/ Baco/ Armazém Acústico/ American Bowling/ The best food/ Rotação/ Rib’s/ Azafrán/ Camaleão/ Galettu’s/ Scur/ Frango e Batatas/ Viva Maria/ La Cantonata/ Pavarotti/ Galeto Régis/ San Guiliano/ Bar do Joaquim/ Telha Grill/ San Giuliano/ Cantina do Nono/ Pulperia/ Bailanta do Tio Flor/ Feito à mão/ Bar da Terreira da Tribo/ Bar do Clube de Cultura/ Aldeia 2/ Churrascaria Santa Teresa/ Massolin de Fiore/ Clericot/ Bogart’s/ Club Sanduíches/ Feira da Fruta/ Lechuga’s/ Torta de Sorvete/ Primavera/ Boccado/ Extremo Oriente/ Bar Minas Gerais/ Gull’s/ Porta Larga/ Lourival/ Donirella/ Boa Boca/ Sorveteria Nevada/ Sorveteria Delícia/ Palácio do Xis/ Cláudio Lanches/ Krips/ Kripton/ Rio Carneiro/ Confeitaria Rocco/ Café Florida/ Estância de São Pedro/ Nova Bréscia/ Galpão Crioulo/ CTG 35/ Recife/ Angra dos Reis/ Verdes Mares/ Kowlon/ Bom Gosto/ Galetão/ Pampulha/ Pampulhinha/ Restaurante Marcos/ Birra e Pasta/ Habib’s/ Santa Mônica/ Liquid/ Le Club/ Laçador/ Chimarrão/ Espeto de Ouro/ Espetão/ Fogo de Chão/ Schneider/ Babilônia/ Cantina Itália/ Komka/ Max und Moritz/ Wundebar/ Babagush/ A libanesa/ Youvi/ Thangay/ Caverna do Ratão/ Porto de Elis/ Cantina do Pepe/ Cantina di Dante/ Signor Cappelettti/ Rei do Mocotó/ Machry/ Caliente/ Carina Barlett/ El Gordo/ Walter/ Eclipse/ Prato Verde/ Dublin/ El Basco loco/ Entreato Pub/ Doce vida/ Gota D’água/ Bar do Marinho/ Karandache/ Barroco/ Discoate/ Pub Olaria/ Dona Zefa/ Tudo pelo Social/ Cidade Bossa/ Faroeste/ Velho Oeste/ Fiodór Kafebar/ Estação Beirute/ Free Rider’s/ American Bowling/ Funilaria/ Cervejaria Berlim/ Georges Beer Store/ General Store/ General Street/ Gibi Bruschetteria/ Hangar 45/ Blue Jazz/ Inside Pub/ Horus Pub/ In Sano/ Jazz Café/ Long Play/ Liliput/ Labirinto/ Kabull Bar/ Billy Joe’s/ Mamma Júlia/ Malvadeza Pub/ Champub/ Aninha Comas/ Café do Prado/ Café do Porto/ Loss Pub/ Marco Zero/ Trensurb/ Marrocos/ Mão Santa/ Mariu’s/ Mary land/ Matita Perê/ Mercado do Chopp/ Mr. Magoo/ Nega Frida/ Nicu’s Bar/ Bar do Nito/ Bar do Lupi/ Barato/ Barril Pub/ Saci/ Mosqueteiro/ Bell’s Bar/ Bier Keller/ Bier Markt/ Bilhar Porto 10/ Boom Gaia/ Bodega’s/ Boteco Imperial/ Dona Neusa/ Boteco 442/ Boteco Matriz/ Boteco Natalício/ Nazareno/ Botequim das Letras/ Bar do IAB/ Botequim do Mano/ Garagem Hermética/ Brasil Acústico/ Cord/ Caminito/ Casa do Barão/ Dragão Verde/ Champanharia Ovelha Negra/ Cine bar/ Chopp e cia/ Check point/ Copão/ Dinorah/ Fofa/ DOC/ Dhomba/ Das Kleine/ Prefácio/ Zeppelin/ Zappa/ Vox Music/ Fim de Século/ Vila Acústica/ NY Lounge/ Muffuleta/ Oficina Etílica/ Liquid/ Palermo Hollywood/ Parangolé/ Passe fica/ Pé Palito/ Pinacoteca/ Pinguim/ Bar do Cofre/ El Fuego/ Restaurante Marcos/ Plínio 75/ Pampulhão/ Porto City Pub/ Preto Zé/ Pub Cine Avenida/ Pub 66/ Abbey Road/ Rádio 80/ Relicário/ Quixote/ Revolution/ Rooms Bar/ Santíssimo/ Alternativo/ Tava’s/ Seu samba/ Shrine/ Speed 3/ Convés/ Solar da Mata/ Café do Theatro São Pedro/ Café Concerto da Casa de Cultura Mário Quintana/ Odeon/ Dona Maria/ Solarium/ Stones Pub/ Strike 410/ Só comes/ Tempero Rosa/ Troianos/ Tessala/ Twister/ Van Gogh/ Venezianos

Gavião/ John Bull Pub/ Discoteca Looking Glass/ Pub/ Cord/ Bar do Adriano/ Cavanhas/ Odeon/ Viva Maria/ Restaurante Dona Maria/ Varandão/ Torta de Panela/ Torta de Sorvete/ Café do Porto/ Oca de Savóia/ Mac’ Dinhos/ Churrascaria do Bom Fim/ Churrascaria Laçador/ Churrascaria Santa Isabel/ Churrascaria Laçador/ Churrascaria Chimango/ Churrascaria na Brasa/ Bar Alternativo/ Baronda/ Barcelona/ Pub do Cigano/ Boteco Natalício/ Teatro de Elis/ Churrasquinho Bar/ Ocidente/ 72 New York/ Bar do Nito/ Cachaçaria Água Doce/ Refinaria/ Dado Bier/ Dado Garden/ Dado Tambor/ Dado Pub/ Arquipélago/ Café do Lago/ Rei dos Camarões/ Chiuauha/ Salambô/ Turis Club/ Lajo’s Night Club/ Água na boca/ Bere Balare/ Asteca/ Brahms/ Baco’s/ Cotillon Club/ American Boite/ Crazy Rabbit/ Gipsy’s Club/ Whisky a go go/ Locomotive/ High Life/ Estudantil/ Tava’s/ Mercatto Jazz/ Absynto/ Bar do Antônio/ Yellow Submarine/ Boate Gimba Cluve/ Biarritz Clube/ La Cadoro/ Macumba/ Batelão/ Clube dos Cozinheiros/ Beliscão/ Scalaris/ Juju Balangandã/ Black Horse/ Cassino de Sevilha/ Boate Avião/ Bartho/ Big Som/ Panela de Barro/ Peccados Mortaes/ Zim-bailoo/ Barroquinho/ Girassole Pub/ Stylo/ Távola/ Bond’eu/ Grill Drink/Cord/ Via Venetto/ Alpen Haus/ Viscaya/ Franz/ Varanda/ Tivoli/ Gangazunga/ Roxy/ A Chave/ Sucata/Dante’s/ Baú/ Paraphernália/ Gaety/ Amarelinho/ Mau mau/ Alfredo Di Roma/ Dante’s/ Ressaca/ Candelabro/ Pica-pau/ Bon ami/ La Rocca/ Porão 700/ Roseplace/ Urso Branco/ Espantalho/ Zanzibar/ Je Reviens/ Rembrandt/ Carcará/ Pedrinho/ Lawson’s/ Vassouras/ Sebastian/ Café Colonial Bela Vista/ Barcelona/ Las Vegas/ Cocktail Pub/ Riviera Club/ Liverpool/ Cote D’azur/ Estravaganza/ Imperatore/ Via Imperatore/ Los Troncos/ Confeitaria Matheus/ Café Florida/ Confeitaria Rosicler/ Pampulhão/ Pampulhinha/ Entreato Pub/ 

Irish Pub/ Kilt Pub/ Barbazul/ Churrascaria Pampa/ Vermelho 23/ Vermelho 27/ Golden Girls/

Grelha do Porto/ Confeitaria Max/ Churrascaria Zequinha/ Prenda Minha/ Tudo pelo Social/ Cerilo/

Clube da Saudade/ Clube dos Coroas/ Restaurante Copacabana/ Barranquinho/ Pizzaria Milano/ Pizzaria Chuca/ Pizzaria Real Palace/ Taco Pub/

Cherry Blues/ Cacimbas/ Shamrock Irish Pub/  Varanda/ Bongô Bar/ Bar Chopp Arthur/ Choperia/ Abbey Road/ Seargent Peppers/ Alfredo/ Walter/ Americanto/ Sierra Maestra/ Arubar/ A Taberna/ Artes e Expressões/ Yang/ Macrobiótica/ Prato Verde/ Bar do Goethe/ Beer Street/ Bier Klause/ Box 21/ Velho Quintino/ Café do Cofre/ Café do Margs/ Café Ipanema/ Bolonha/ Velho Carreiro/ Cantina del Nonno/ Casa de Praia/ Live’s Sport Club/ Casa de teatro/ Studio Clio/ Cherry Blues Pub/ Colors bar/ Confraria/ Consulado do Café/ Doppio Senso/ Espaço K-Zuka/ Bar da Cia. de Artes/ Donato Restaurante/ Espiral/ Estância de São Pedro/ Jack beer/ Sakaes/ Trattoria do Giovanni/ Super Pizza/ Zé do Pão/ Colméia/ Café do Theatro São Pedro/ Café Concerto Majestic/ Café do Cofre/ Girasole Pub/ Jardim Elétrico/ Casa Elétrica/ Gordinhos/ Lourival/ Meketreff/ Oficina Etílica/ 8 e meio/ Original Chopp/ Ossip/ Papa’s Beer/ 14 bis/ Frango ao Cesto/ Roof Bar/ Pub Olaria/ Bar do Plaza/ Sanduíche Voador/ SOS/ 300/ Velho Oeste/ Via Café/ A toca/ Acabit/ Anticuario Resto Bar/ Bar do Cofre/ Alquimia/ Água de Beber/ Chalé da Praça XV/ Chalé/ Chalaça/ Armazém Ventura/ Árabe Souk/ Art e bar/ Austrália South bar/ Pizzaria Milano/ Barbatana/ Bar e bilhar/ Sabra/ Outback/ Rio Vermelho/ Churrascaria Zelão/ Churrascaria na Brasa/ Taj Mahal/ Fim de Século/ Flowers/ Gê Powers/ Vinha D’alho/ Zappa/ Galeteria Vêneto/ Galeteria Verona/ Tortaria/ Convés/ Tivoli/ Panorâmico/ Galo/ Gato Preto/ Liliput/ Bar Líder/ Girasole Pub/ Champub/  Music Hall/ Arcabuz/ Divina Comédia/ Café da Oca/ Banca 40/ Café do Prado/ Seargent Peppers/ Senzala/ Afrosul Odomodê/ Café com Pecado/ Calamares/ Caminito/ Pink Elephant/ Porão do Beco/ Kimik/ Segredo/ Be Happy Fun Music/ In Sano Pub/ General Street/ Preto Zé/ Mariu’s/ Batemacumba/ Farm’s/ Chalé/ Café de La Musique/ Live Sport Pub/ Café Bertoldo/ Café Florida/ Mão Santa Pub/ Padaria Pinguim/ Birra e Pasta/ Restaurante Marcos/ Cheung Lung/ Churrascaria Casarão/ Rocket 88/ Churrascaria Schneider/ Garcias/ Zum Ritter/ Chopp Stubel/ Via Bordine/ Plazinha/ Jooman/ Mercado Del Puerto/ Panchos/  Wolf’ house/ Al Dente/ Cantina Roma/ Restaurante do Porto/ Casa de Portugal/ Galo/ Grêmio Náutico Gaúcho/ Buffet Sebastian/ Panorâmico/ Bella Pasta/ Casa Vecchia/ Espaço Aéreo/ Aeroporto/ Avião/ Dal Padrino/ Il Gattopardo/ Sulina Grill/ Zelão/ Sushi Express/ Riverside’s/ Montepolino/ Piacevolle/ Pastaciutta/ D’italiani ristorante/ Pasta e Pesto/ Atelier das Massas/ Via fettucine/ Sakura/ Miyuki/ Pagoda/ Nanquim/ Cheung Lung/ Kotobuki/ Coolméia/ Maomé/ Flor de Maça/Azteka/ Bazkaria/ Pizza Hut/ El burrito/ Nova Vida/ Natureza/ Ilha Natural/ Saúde e sabor/ Nutrivida/ Yogurte Caseiro Gaúcho/ Frango e Cia./ Subway/ Clube do Comércio/ Sociedade Polônia/ Polska/ Barranco/ Saúde e sabor/ Raízes/ Sabor Tropical/ Don Juan/ Rei dos Camarões/ Calamares/ Ponto de Vista/ Koh Peeppe/ Chiwava/ Cândidos/ República dos Camarões/ Negrão/ Terapia/ Le Poulet/ Bambino/ Don Nicola/ Jordani/ Nonno Mio/ Nonno Vecchio/ Polito/ Primo Polastro/ San Giuliano/ Sbardeloto/ Chuca/ Pizzaria Milano/ Palace Royal/ Via Morano/ Sálvia/ Adega da Beira/ La Colina/ Durhan/ La grelha/ Olaria Grill/ Bill Grill/ Palatus/ São Juliano/ Arte Pizza/ Roda Pizza/ Bianca/ Florença/ Forno e Fogão/ Prenda Minha/ Fratello Solle/ Pizzaiolo/ Queijos e cia./ Cachaçaria/ La botte/ L’arlecchino/ Amandita feliz/ O Barão/ Café do Páteo/ Pop House/ Fim de Século/ Portocom/ Legião Rock bar/ Refinaria/ Café da Usina/ Taperia/ Z Café/ Kant Bar/ Heaven Café/ Croco/ Dr. Gole/ Bar Fim/ Bar Redenção/ Subjazz/ Enigma/ Doce vício/ Barcelona/ Fly/ Neugebauer/ Confeitaria Max/ Vitraux/ Discretus/ Ego Sun/ Flowers/ Escaler/ Local Hero/ Fascinação/ Cláudio’s Lanches/ Porto G/ Flowers/ The hit club/ Ecco/ W Pub/ Trivial/ Manara/ Verde/ Apolinário/ Bar 1/ Pinacoteca/ Mamma Júlia/ Gokan/ Per tutti/ Santa Helena/ Manolo/ Minuano/ Portoxicano/ Bom Gosto/ Capitão Rodrigo/ Chimarrão/ La Churrasquita/ Cachorro do Bigode/ 14 bis/ Continental/ City Hotel/ Laçador/ Galeto Santa Maria/ Passoquinha/ Pastoriza/ Roda de Carreta/ São Rafael/ Zequinha/ Portoalegrense/ Novo Alcapão/ Vermelho 23/ Prenda Minha/ Porto Alegre/ Hannover/ Bier Garten/ Prinz/ Rock’s/ Fritz/ Steinhaus/ Al araz/ Travessa do Molho Pardo/ Cantinho do Molho Pardo/ Sabra’s/ Churrascaria do Bom Fim/ Princesa Isabel/ Kowllon/ Fuial/ Nanking/ Pequim/ Muralha da China/ Galeteria Menino Deus/ youky/ thongay/ casa de espanha/ Le bon gourmet/ L’ assiete/ melange/ govinda/ afroporto/ everest roof/ Embarcadero/ Executivo/ Treviso/ Tainha na Telha/ Flamingo/ Executivo/ Le Hublot/ João de Barro/ Chez Philippe/ Hereford/ Maison du Pierre/ Manhattan/ Phornália/ Fornão/ Pedrini/ Salim/ Cerillo’s/ 

    

permalink

Especiais sobre a Ipanema FM no Paralelo 30  escrito em domingo 06 fevereiro 2011 20:49

Estão indo ao ar os especiais que produzimos sobre a Ipanema FM no programa Paralelo 30, que vai ao ar na http://www.radiobuzina.com.br

O programa pode ser ouvido a qualquer momento, basta clicar no ícone do Paralelo 30.

Padrão
Sem categoria

Coluna do Usina do Porto

Coluna no Jornal Usina do Porto  escrito em quinta 03 maio 2012 03:27

Na edição de abril/2012, saiu a nossa primeira coluna “Música & Cia.” no prestigiadíssimo jornal Usina do Porto, de Porto Alegre. A indicação ao Jorge Luíz Olup, editor do jornal e incansável batalhador pela valorização da cultura feita no RS, veio do meu “padrinho” e querido amigo Caetano Silveira, compositor e produtor cultural da melhor cepa, que ocupava brilhantemente o espaço, divulgando a cena musical gaúcha. Aliás, não deixem de assistir na TV Assembléia (que é o mesmo canal da TV Câmara de Vereadores, na NET/Sky) o programa “Cena Musical”, que o Caetano conduz com maestria sempre enfocando, em entrevistas, nomes consagrados e os novos valores da música produzida no Rio Grande do Sul.

A minha coluna de estréia está no link abaixo.

http://www.usinadoporto.com.br/musica_e_cia.php

permalink

Padrão
Sem categoria

LP dos Almôndegas

 

LP da Berê  escrito em terça 11 novembro 2008 20:07

Blog de bandasdorockgauchoforever :bandas do rock gaúcho forever, LP da Berê

LP Aqui, dos Almôndegas  escrito em terça 11 novembro 2008 20:09

Blog de bandasdorockgauchoforever :bandas do rock gaúcho forever, LP Aqui, dos Almôndegas

LP Alhos com Bugalhos – Almôndegas  escrito em terça 11 novembro 2008 20:12

Blog de bandasdorockgauchoforever :bandas do rock gaúcho forever, LP Alhos com Bugalhos - Almôndegas

LP Coletânea dos Almôndegas  escrito em terça 11 novembro 2008 20:15

Blog de bandasdorockgauchoforever :bandas do rock gaúcho forever, LP Coletânea dos Almôndegas

LP Circo de Marionetes – Almôndegas  escrito em terça 11 novembro 2008 20:17

Blog de bandasdorockgauchoforever :bandas do rock gaúcho forever, LP Circo de Marionetes - Almôndegas

Padrão