Sem categoria

Resenhas BRGF: CD “Fingerprint”, de Zé Flávio

capafinal

O lançamento do CD “Fingerprint”, de Zé Flávio, vem cobrir uma lacuna enorme que havia na discografia gaúcha do século XX, uma vez que se trata de um dos melhores compositores de rock, pop e MPB da história da música feita no RS. Mas nem por isso deixa de ser um produto do século XXI, atualíssimo. De fato, Zé Flávio é uma das figuras históricas do rock e da MPB gaúchos, uma verdadeira lenda viva. Além de compositor seminal, também é um dos melhores guitarristas já revelados por estas bandas. Afortunadamente, o Zé resgata alguns de seus clássicos no CD, que foi produzido pelo baixista Nico Bueno, e está recheado de participações especiais e de grandes performances de ótimos instrumentistas da cena porto-alegrense. Na bolachinha, Zé repaginou canções da época em que era o band leader de grupos como “Em Palpos de Aranha” e o “Mantra”, e que foram ao ar em meados dos anos 70 pelas ondas da Rádio Continental AM (no programa do Mr. Lee, personagem encarnado pelo radialista Júlio Fürst), bem como clássicos do rock gaúcho gravados pelos “Almôndegas”, grupo a que finalmente passou a integrar, a partir do terceiro LP gravado pelo grupo. E no disco Zé também bem demonstra a sua excelência e virtuosismo como guitarrista (após o fim do Almôndegas, Zé acompanhou a dupla Kleiton e Kledir, Elba Ramalho, Emílio Santiago, enfim, uma infinidade de artistas brasileiros). Misturando rock, samba, blues, influências latinas, etc. em suas composições, Zé faz um apanhado de algumas de suas principais canções no disco, que é item obrigatório para quem quiser entender o que é o rock gaúcho. Em que pese o CD tenha cumprido um papel espetacular, no sentido de resgatar o trabalho desta figura ímpar, os fãs (dentre os quais me incluo, naturalmente) ainda ficaram carentes de versões mais roqueiras de “Rock e Sombra Fresca no quintal” e da “Canção da Meia-Noite” (que no disco vem em versão instrumental, assemelhada a uma suíte), e do clássico minimalista “Dói em Mim”. Quem sabe no próximo disco, né Zé? O CD do Zé Flávio é um clássico absoluto, não deixe de ouvir.

Anúncios
Padrão

2 comentários sobre “Resenhas BRGF: CD “Fingerprint”, de Zé Flávio

  1. Pingback: Resenhas BRGF: CD “Fingerprint”, de Zé Flávio – Rogério Ratner

  2. Pingback: Resenhas BRGF: CD “Fingerprint”, de Zé Flávio | bandasdorockgauchoforever

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s